Curiosidades sobre o Parque Olímpico no RJ

Você pode até não gostar muito de esportes, no entanto, há algo mágico sobre os Jogos Olímpicos: atletas treinam por anos a fio dando tudo de si para entregar em fração de segundos o desempenho de uma vida. Vibramos com os vencedores e choramos com os perdedores. Este é o verdadeiro espírito Olímpico! Confira as curiosidades sobre o Parque Olímpico no RJ

Curiosidades sobre o Parque Olímpico no RJ - 4FLY RJ

Curiosidades sobre o Parque Olímpico no RJ

Você pode até não gostar muito de esportes, no entanto, há algo mágico sobre os Jogos Olímpicos: atletas treinam por anos a fio dando tudo de si para entregar em fração de segundos o desempenho de uma vida. Vibramos com os vencedores e choramos com os perdedores. Este é o verdadeiro espírito Olímpico! Confira as curiosidades sobre o Parque Olímpico no RJ

 

Curiosidades do Parque Olímpico no RJ

 

Parque Olímpico

Localizado no bairro da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, o projeto do Parque Olímpico teve início em 6 de julho 2012 com objetivo de construir um complexo esportivo para os eventos olímpicos que aconteceriam na cidade em 2016.

 

Área de construção

Após a inscrição do Rio de Janeiro para sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, este complexo foi construído no local onde funcionava o Autódromo Internacional Nelson Piquet.

 

Áreas de atuação e capacidades das arenas

É na Cidade dos Esportes que estão construídas as 3 Arenas Cariocas, a Arena Olímpica do Rio, o Parque Aquático Maria Lenk e o Velódromo. Ainda foram construídos nessa zona, um Centro Olímpico de Tênis (parte do Estádio Maria Esther Bueno) e 2 hotéis, que abrigam o Centro Internacional de Transmissão e Centro Principal de Mídia.

A Arena Carioca 1 tem capacidade de receber 16.000 pessoas e a Arena Olímpica do Rio 12.000 pessoas. O Estádio Maria Esther Bueno e o Parque Aquático Maria Lenk têm capacidade de 10.000 e 5.000 pessoas, respectivamente.

Por fim, o Velódromo pode receber até 5.000 pessoas. Juntos todos os espaços podem receber até 48.000 pessoas em competições.

 

Modalidades esportivas disputadas

 

Para os Jogos Olímpicos de 2016 foram disputadas 16 modalidades esportivas:

 

  • Natação
  • Nado Sincronizado
  • Polo Aquático
  • Ginástica Artística
  • Esgrima
  • Ginástica Rítmica
  • Basquetebol
  • Handebol
  • Tênis
  • Ciclismo
  • Salto Ornamental
  • Ginástica de Trampolim
  • Taekwondo
  • Judô
  • Luta Livre
  • Luta Greco-Romana

 

 Já para os Jogos Paralímpicos, foram disputadas 10 modalidades:

  • Tênis em cadeira de rodas
  • Rugby em cadeira de rodas
  • Basquete em cadeira de rodas
  • Voleibol Sentado
  • Futebol de 5
  • Golbol
  • Ciclismo
  • Natação
  • Bocha
  • Judô

 

Inovação na construção das arenas

 

Na construção das Arenas Cariocas, o propósito era buscar a eficiência energética. Utilizou-se boa parte do potencial solar da região. A iluminação do parque é realizada através de um sistema de automação predial.

Esse sistema prioriza a economia de energia. Na parte dos vestiários dos atletas, todos são abastecidos com água quente, oriunda do sistema de aquecimento solar.

Foi realizado um trabalho de recuperação de 70 m² da faixa marginal de proteção do ecossistema. O trabalho foi recuperar uma parte do mangue e plantio da restinga. Assim, foi possível cuidar da fauna e flora.

 

Valor e relevância

Para o Rio de Janeiro foi muito interessante receber um dos maiores eventos esportivos do mundo, que contribuiu para a economia do estado, recebendo um grande número de turistas.

 

Pós Jogos Olímpicos

Quando terminaram os jogos olímpicos de 2016, outras áreas foram projetadas. São elas: áreas de lazer, jardins, o Muro dos Campeões (onde estão registradas todas as 2.568 medalhas distribuídas durante os jogos de 2016).

 

Um novo modelo de Complexo Esportivo

Atualmente, a Prefeitura é a responsável por administrar no Parque Olímpico a Arena 3 e a Via Olímpica. As Arenas Cariocas 1 e 2, o Velódromo, além do Centro Olímpico de Tênis estão sob a responsabilidade do Governo Federal.

No novo plano de legado, a Prefeitura continua responsável pela Arena 3, mas passará a gerenciar o Velódromo. Já as Arenas Cariocas 1 e 2 e o Centro de Tênis serão concedidos para a iniciativa privada, por 15 anos.

Além das instalações, o vencedor da iniciativa privada será responsável pela conservação predial de todo o Parque Olímpico, além da transformação da Arena 3 em um Ginásio Experimental Olímpico (GEO), construção de uma nova pista de atletismo e montagem de uma piscina olímpica no complexo.

 

GEO Parque Olímpico

 

O Ginásio Experimental Olímpico da Arena Carioca 3 será administrado pela Prefeitura do Rio e terá capacidade para receber 850 alunos em horário integral, com 24 salas de aulas, laboratórios de ciência e mídias e duas salas multiuso. A escola terá a prática esportiva de oito modalidades: judô, lutas, tênis de mesa, futsal, basquete, handebol, voleibol e tiro com arco.

A população também ganhará novos espaços para a prática esportiva no Parque Olímpico já que todas as atividades desenvolvidas atualmente na Arena Carioca 3 serão transferidas para o Velódromo. A instalação de ciclismo passará a ser de uso comunitário e vai virar uma arena de atividades esportivas com a capacidade para receber 1.000 pessoas por dia. Serão oferecidas atividades gratuitas, como ginástica, artes marciais e academia, além da disponibilização das quadras para a prática de esportes coletivos.

 

 Pista de Atletismo e Piscina Olímpica

 

A empresa que ganhar a licitação para explorar as Arenas 1 e 2 e o Centro Olímpico de Tênis também terá por atribuição erguer, próximo às Arenas Cariocas e no fundo da Arena Multiuso, uma nova pista de atletismo e uma das piscinas do Centro Aquático Olímpico.

Outras áreas que vão ter seu uso potencializado ao público pela iniciativa privada serão a Via Olímpica e a área do Live Site. Os espaços serão transformados num grande parque público aberto para a população.

 

Passeio de 60 minutos de helicóptero em Rio de Janeiro

 

Um serviço de transporte aéreo acabou virando passeio turístico em Rio de Janeiro por causa da curiosidade das pessoas em voar de helicóptero e conhecer a cidade do alto.

Quando a 4 Fly RJ passou a ofertar a opção de transporte aéreo urbano, os clientes começaram a procurar e agendar voos simplesmente pela experiência de voar de helicóptero pela primeira vez. O voo panorâmico veio para atender a esse público de uma forma mais dedicada e perfeita.

O passeio com duração de 60 minutos, que inclui também a Área Olímpica em seu roteiro, começa com a decolagem do Aeroporto de Jacarepaguá e é feito pelos principais pontos turísticos do Rio como: Praias da Barra da Tijuca /Joá / Pedra da Gávea / São Conrado / Leblon / Ipanema / Lagoa Rodrigo de Freitas / Jockey Club / Jardim Botânico / Cristo Redentor / Arpoador / Copacabana / Urca e Pão de Açúcar / Travessia da Baia de Guanabara / Praias de Niterói / Museu de Arte Contemporânea / Praias Flamengo e Botafogo / Catedral / Arcos da Lapa / Sambódromo / Maracanã / Quinta da Boa Vista / Lagoas da Barra da Tijuca / Pontal / Recreio / Prainha e Grumari.

 

Durante o passeio, os passageiros podem ter uma visão bem diferente da cidade do Rio de Janeiro e se encantar com suas construções, jardins, florestas, praias, bairros e arquiteturas marcantes.

Deixe um comentário